Loading…
This event has ended. Visit the official site or create your own event on Sched.
                                                                     Compre AQUI os seus bilhetes para os ESPETÁCULOS E MESAS DE AUTORES do Folio 2016                                                                                                          
View analytic
Sunday, October 2 • 16:30 - 17:30
II Seminário Internacional FOLIO EDUCA: Desafio de leitura. Utopia - Segue-me à Capela

Sign up or log in to save this to your schedule and see who's attending!

Segue-me à Capela é um coletivo de sete mulheres que trabalha a música tradicional portuguesa numa perspetiva contemporânea, usando a voz como principal instrumento. A percussão e alguns elementos cénicos reforçam os climas gerados a partir do canto.

O grupo existe há 15 anos, realizou inúmeros concertos em Portugal e no estrangeiro, colaborou com vários artistas, designadamente em discos e concertos, tendo editado o seu primeiro cd no ano de 2004, em edição de autor. Cantam sons antigos e sons novos dessa arte fugidia com que se embalam os meninos, se encomenda a alma, se evoca o divino e o terreno, se espanta a fadiga, se anima o corpo… são 7 mulheres… 7 são também as maravilhas do mundo, os dias da semana, as notas musicais, os orifícios do rosto humano e … 7 são os pecados mortais e os segredos da dança dos 7 véus…7 é quase tudo o que há de bom e quase tudo o que há de mau! e cantam música tradicional portuguesa… amando estas cantigas, amadurecidas de vida, plenas de força telúrica na sua singeleza. como o amanhecer da primeira primavera.

Cantigas que são histórias, contas de vida, heranças forjadas por quem trabalha, na sua expressão mais universal e instintiva, o canto a capella das mulheres que se juntam para trabalhar, rezar, festejar e sonhar… do repertório fazem parte cantares tradicionais recriados a partir de recolhas de Michel Giacometti, José Alberto Sardinha, Judith Cohen, Ernesto Veiga de Oliveira e do GEFAC e cantam a capella, porque gostam de ouvir os lugares das vozes, os silêncios e a harmonia surpreendente que estas cantigas guardam. Muitas vezes acompanhadas por instrumentos de percussão como o adufe, a caixa, a tarola, o bombo e por alguns elementos cénicos, pretendem evocar a memória de ambientes que não querem ver perdidos. Em março de 1999, num bar de Aveiro, O Botirão, deram o primeiro espetáculo. Foi um começo de cantar, de uma certa maneira, num certo sentido, com a vontade própria de quem quer ver nascer uma personalidade vincada nos palcos e na cenografia das vidas comuns, como uma pintura que se esboça através de significados e afetos, que tentam que outros intuam e partilhem com elas. Mas, sobretudo, gostam de cantar juntas, com quem quiser segui-las, sempre à capella…



Sunday October 2, 2016 16:30 - 17:30
AUDITÓRIO MUNICIPAL CASA DA MÚSICA